Buenas amigos e amigas,

É preciso que eu diga que estou escrevendo essa receita tomando um mate e escutando uma milonga lindaça.

Essa receita é uma singela homenagem a Republica Rio Grandense, dia 20 de setembro comemoramos o início da Revolução Farroupilha. Desde 2008 não passo o feriado no Sul, é amigos, escolhas da vida. Como consolo fica o verso de uma famosa música gaúcha:

Não podemo se entrega pros home
De jeito nenhum, amigo e companheiro.
Não tá morto que luta, quem peleia.
Pois lutar é a marca do campeiro.

E é isso ai, estamos eu e a Amanda peleando aqui por São Paulo, buscando desafios e lutando dia a dia.

Ao que interessa, a receita. Como principal ingrediente vamos utilizar Charque, como já comentei em outros posts é uma carne salgada, seca característica do sul. Na época da guerra era o principal produto da economia gaúcha.

Ingredientes:

  • 500g de charque;
  • 500g de mandioca;
  • Pimentões vermelho, amarelo, e verde;
  • 1 Cebola;
  • 1 Copo de Requeijão;
  • Sal e pimenta do reino;
  • Queijo parmesão ralado.

ATENÇÃO: Nas fotos a quantidade é o dobro da indicada. Quando agente faz aqui em casa sempre deixa um pouco congelado.

Iniciando, separe o charque.

Ponha a carne de molho em água, esse é o processo de desalgar a carne. Vamos deixar de molho por 1 hora, trocando essa água 2 a 3 vezes durante esse tempo.

Enquanto está desalgando a carne vamos preparar a mandioca. Descascada e lavada:

Coloque na panela de pressão e cubra d’água. Vamos deixar 40 minutos após pegar pressão.

40 Minutos depois:

Como vamos precisar da panela de pressão para o charque, transfira a mandioca para um recipiente, aproveite para retirar aquela fibra central (detalhe na foto) .

Esmague a mandioca para fazermos um purê.

Panela liberada vamos ao charque. Coloque a carne já desalgada.

Cubra d’água e vamos ao fogo novamente, desta vez deixamos 1 hora após pegar pressão.

Prontinho, carne desmanchando.

Todos os ingredientes:

Os pimentões e a cebola vamos picar bem.

Muito bonito esse colorido…

Em uma panela com 4 colheres de azeite….

…. vamos refogar.

Metade do processo…

… Pronto, é só deixarmos ‘amolecer’ a cebola e os pimentões.

Enquanto refoga vai desfiando a carne, como ela ficou 1hora na pressão vai estar desmanchando, é só puxar com um garfo.

Eis o precioso charque.

Estamos quase na montagem, só falta temperar a mandioca.

Coloca 1/2 colher (sopa) de sal e 1/2 colher (café) de pimenta do reino moída. Uma dica, utilize um pouco da água do cozimento do charque para dar esse tempero, vai ajudar na liga e salgar um pouco mais.

Temperado, vamos a montagem.

Nesta foto temos o pimentão e cebola já refogados, carne desfiada, mandioca temperada e os requeijões e parmesão ralado.

Escolhe ai um recipiente que possa ir ao fogo e inicia com uma camada de mandioca. Uma dica é usar um recipiente alto, assim poderá fazer várias camadas, semelhante mesmo a uma torta.

Carne por cima, pode colocar bastante…

Pimentões e cebola.

Requeijão…

… agora espalhado.

E vamos repetir tudo de novo. Mandioca

Charque.

Pimentões e Cebola.

Requeijão

E mandioca. Note que coloquei mais uma camada de requeijão, vai ajudar a gratinar.

Detalhe para as camadas da torta.

Por cima o queijo ralado e…

… a homenagem ao Rio Grande. Utilize fatias de pimentões e solte a criatividade.

Como comentei no início, essa receita rende bem, por isso agente faz bastante pra sobrar e congelar.

Com a quantidade que fizemos (1kg de charque e 1kg de mandioca) rendeu o que está na foto abaixo.

Kit de tortas, da direita para a esquerda: Porção individual, para duas e para 4 pessoas.

Vamos ao forno por 40 minutos a 200 graus (esse tempo é com a receita descongelada).

Vai cuidando no forno, quando começar a dourar e borbulhar está bom.

Detalhe nas borbulhas:

E ai é só servir e enlouquecer com o sabor.

A foto não é das mais bonitas, mas acredite vale muito a pena.

Chegamos ao fim de mais uma receita.

Pra quem não é do sul e sentiu-se excluído, fica tranquilo pode fazer essa receita utilizando Carne Seca, é fácil encontrar em qualquer mercado.

E quem estiver lendo ai do Rio Grande do Sul (tem alguém ai??), aproveite esse dia, reúna os amigos, tome um mate jogando truco gaudério, faça uma churrasco de costela e reviva as tradições.

Para finalizar um trecho do hino da Republica Rio Grandense:

Mostremos valor, constância
Nesta ímpia e injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda a terra

Muito obrigado a todos e nos desculpem pelo bairrismo.

Bassani e Amanda.